Arquivo da categoria: PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

Retrospectiva 2013 by Sacimula

Saci e Mula sem cabeça tinham prometido que a fé no 13, havia de resultar num ano de sorte.
AA_FACHADABOATEKISS
Tudo foi mal, naquele trágico incêndio na Boate Kiss. Um país que abre o ano velando jovens mortos, por imprudência de empresários das baladas e ineficiência do poder público, precisava literalmente se refazer das cinzas, para merecer crédito, quanto à capacidade de antever e evitar tragédias.
AA_DILMACHORASANTAMARIA
Sede do encontro de jovens católicos, da visita do Papa Argentino, em julho, essa fé num Brasil que abraça a juventude, a liberdade e diversidade de credos, plantou uma flor.
AA_papavisitaobrasil
Mas foi o fanatismo religioso que, numa de suas nefastas demonstrações de poder, abalou e feriu as tão caras convicções e batalhas por um mundo mais igual. A ‘cura gay’, ressuscitando o âmago da Inquisição do Santo Ofício, demorou a ser curada. O Estado anda pouco laico e deixa muito louco (do mal) ditar o que se pode ou não. Precisou o ano caminhar para o final para nos livrar do mal. Somente em dezembro, a Comissão de Direitos Humanos e Minorias se viu livre de Marcos Feliciano, deputado ultra conservador e representante do que há de pior, de mais corrosivamente preconceituoso, possa haver na interpretação dogmática e autoritária do Evangelho.
AA_marcofelicianocuragay
E quando parece que ninguém tá vendo, eis que nos vemos no centro da situação. Confirmado: como temos armas de destruição da fome em massa, Obama espiona o Brasil. Ele deve ter visto muita coisa, do pré-sal ao petróleo; do jogo do bicho ao bicho de pé. Tio Sam não ficou impune. Dilma desistiu de ir aos EUA, botou a boca no mundo. O bicho pegou!
AA_Obama-Espiona-Dilma
E a juventude não tolerou o aumento do busão. Não era pelos 20 centavos. Mas era, também contra os 20 centavos. Os meios de transportes utilizados pela maioria da população são caros, se for considerado o nível de desconforto.
AA_naoepelos20dentavos
E a polícia mais violenta contra movimentos sociais, tem sido (disparado!), a do Estado de São Paulo. A repressão ao protesto estudantil foi tão violenta que acabou encontrando resposta a altura.
AA_spray de pimenta
Os cenários urbanos em completo caos e destruição, iniciados em São Paulo e repetidos por toda parte, por mais de um mês, causaram e ainda causam perplexidade, merecem análise atenta, comportam interpretações diversas. Mas revelam que o nível de participação ativa na política se ampliou. Bom para os ideais democráticos, mas melhor ainda para servir de termômetro da capacidade de superação dos problemas, sob a égide da justiça e da liberdade. Milhares se manifestaram no Palácio do Planalto. Ruidosamente. Ninguém saiu ferido por excessos da força policial.
AA_protesto-brasilia1
Em São Paulo, a ira popular manifesta no meio do ano, contra o aumento no preço da passagem, viria se justificar ainda mais e a merecer repercussão e indignação geral, uma vez que, a partir de denúncia iniciada no âmbito de uma mega empresa internacional – a SIEMENS – revelou-se que as autoridades do Estado mais rico da federação passaram as últimas 2 décadas roubando dinheiro do Metrô. Pois é, não era só pelos 20 centavos. Era pelos 20 anos de violência policial, descaso com a educação e a saúde e roubalheira encoberta e blindada que São Paulo, desmerecidamente, suporta.
AA_cratera do metro
E a indignação seletiva diante da corrupção, operada de forma cada vez mais evidente, por parte das grandes empresas de comunicação, teve enfrentamento inédito, por parte dos movimentos sociais. A Rede Globo se torna cada vez mais óbvia e em 2013, bateu seu próprio recorde, anunciando o óbvio ululante: sim, ela admite que apoiou a ditadura. Os protestos contra a velha imprensa, sintetizados no ato público nas sedes dessa emissora – sendo o mais significativo, o da apoteótica “homenagem” à fachada do prédio, que recebeu “adubagem”- foram o corolário do que as redes sociais e seus blogs “sujos” têm possibilitado, em termos de reação à manipulação da informação.
AA_fachadadaglobocom merda
A contra ofensiva também marcou 2013. O pensamento progressista quer o marco regulatório. As grandes empresas desejam repor sob seu controle a sua velha, gasta e abominável ação monopolizante. Criar candidaturas anti populares, mas com cara de super-heróis do povo, tem sido um clássico dessa velha imprensa que, em que pese gasta e torta, parece longe de afundar ou desistir. Em 2013, um Juiz carrasco e um Senador mineiro da oposição foram os queridinhos da mídia conservadora.
Cerimônia de entrega da Medalha da Inconfidência
Mas isso não durou, ao menos, em seu invólucro de proteção ‘natural’. Notoriamente, foi o ano em que o que era pó ao pó voltou.
AA_ao po o que é do po
Tanto Joaquim Barbosa, quanto o deputado dono de um helicóptero flagrado carregando quase meia tonelada de cocaína, haviam sido condecorados com medalhas por Aécio Neves, pré-candidato da oposição às eleições de 2014.
AA_helicoptero-do-po
Medalhas e medalhas… O Brasil teve um dos seus melhores anos, no esporte. E sob vais e aplausos, prepara-se para ser o país da Copa. A vitória na Copa das Confederações deu o tom de nossa maturidade. Somos, mais que nunca, o país do futebol. Mas essa chancela, ora nos serve como motivo de orgulho. Se ela já foi sinônimo de ofensa, se já significou a forma injusta de rotular nosso povo como anestesiado, conformista, passivo em relação aos seus direitos e em nome da fé cega no futebol, provado ficou que isso foi sempre um falso dilema e um rótulo descabido.
AA_copadasconfederações
A paixão pelo futebol não é motivo de passividade maior, nem menor, nem esclarece a apatia política. Não gostar do esporte não faz de ninguém um Che Guevara aguerrido. Do mesmo modo, as manifestações ruidosas que se espalharam pelo Brasil, a exigir das autoridades e demais setores sociais, educação e saúde com padrão FIFA, confirmam a vocação brasileira: a mão que toca o violão, se for preciso, faz a guerra.
AA_copa2014
Desejo a todos, um 2014 de PAZ.
Grata aos que acompanham nosso blog, Saci & Mula colocam-se, desde sempre, na torcida por um ano de imensas conquistas sociais e alegrias. Um ano à altura e do tamanho do Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em CONTO E MOSTRO, JORNALISMO BOZO, MULA PUXA PAPO COM SACI..., PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

Zumbi & Mandela: dois heróis. E nenhuma semelhança é mera coincidência

#VivaMandela
A_NELSON MANDELA
#VivaZumbi
A_VIVA ZUMBI

Deixe um comentário

Arquivado em PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

DESTA BLOGUEIRA QUE AMA CUBA, PARA A ‘BLOGUEIRA CUBANA’

cuba+brasil+dizeres

5 Comentários

fevereiro 19, 2013 · 5:18 pm

O MENSALÃO, SEGUNDO OS CORONÉIS DE ‘GABRIELA’

O coronel Ramiro Bastos tá a cara do Lula! Ou o Fagundes ataca de Carga Pesada da terceira idade ou veste beca pra um honoris causa no estrangeiro. O que a Redi Groba quer, com um protagonista que tá a cara de Luis Inácio pós tratamento? Como a emissora não dá ponto sem nó, mas dá nó em pingo d´água, vale conferir. Dito e feito! Ele tá mais pra prêmio da mega sena acumulada do que pra coronel do sertão! Põe as meninas do Bataclan em procissão e força igrejeiro a engolir o casório de Nacib com Gabriela. Tudo negociadinho, sem ameaça, sem capanga, sem usar munição, Ramiro Lula Bastos não mete medo em ninguém. É mais bonzinho que sindicalista do ABC. Só fica brabo quando a imprensa não faz jus a sua generosidade. Daí o bicho pega! Mesmo assim, perdoa.

 

 O coronel Jesuíno não teve escolha: fez que não via, não ouvia, não falava, não pensava. Mas sempre tem um desocupado pra por isso e mais aquilo em cabeça de corno. E no que cornetaram pro besta que o dentista bonitão da cidade andava abrindo canal, erguendo ponte e polindo coroa… foi um forfé! Sobrou raiva, um revolver na mão e o crime tava pronto.  Jesuíno é, sem dúvida, o Roberto Jefferson. Nos tempos áureos de Fernando Marajá Collor, o Coronel Bob Jeff ordenava mecanicamente a tudo o que era propina: “Deite que vou lhe usar”. Imagina o sentimento de corno que brotou nesse cabra, no que viu escapar das mãos toda aquela dinheirama, que já fora escrava de seus instintos mais primitivos!

Dona Sinhazinha é Zé Dirceu. Se pecados tinha, eram poucos; se honradez tinha nome, era o seu. Mas tem sempre um dentista, ou um lobista ou lobo mau em pele de tesoureiro de campanha, no caminho de toda (quase) completa retidão. Foi pega com a boca na botija (vamos chamar na botija, que tem muito ‘de menor’ que lê o blog) ou no boticão do dentista-cirurgião. Ainda tentou a clássica saída: “Eu posso explicar! Não é o que você está pensando”. Coronel Jesuíno apertou o gatilho e pimba Dona Sinhazinha! Mas cabe lembrar que quem mata é Deus. Roberto Jefferson fez igual. Deu a sentença pronta: jurou que Zé Dirceu deitou mais a grana do povão. Assim, tem magra margem de novidade em como opinará o sacro, santo e celestial STF.

 

O coronel Coriolano deveria se chamar Corniolano, porque (né?) nem precisa ser Mac Luhan pra saber que o meio é a mensagem. Em vez de coronel é cornonel. Ele mantém uma teúda-manteúda tratada a pão de ló. Acha que o fato de privatizar a própria quenga é garantido. E no que ele cochila, a sua Glorinha,  que não labuta no bordel do lugarejo, (como privilegiada, bancada pelo velho, que é), suspira e vê a vida pela janela. E vez ou outra, acolhe a ‘vida’ em seus lençóis… No mensalão, Coriolano seria o Duda Mendonça. Jura que só comeu o que já era dele, que não bicou grana pública nem aqui, nem em paraísos fiscais etc. e tal. Briga de galo à parte, já pressente que tá solitário no perrengue, por não ser político. Vai pagar de corno manso na parada. Acho pouco, afinal, quem mandou confiar em puta?

O padre da novela faz lembrar o Ministro Gilmar Mendes. Entre um cochilo e outro, quer é sombra, água benta fresca e, mais que tudo na vida (nesta e em qualquer outra), só se preocupa mesmo é em manter ordem na casa e seu supremo e inquestionável posto de comando sobre os paroquianos. Tão de prontidão, o de batina e o da beca. Esbravejam, socam o ar, citam passagens de Bíblia ou da Constituição. No final das contas, vale o que os coronéis soprarem-lhes ao ouvido, a cada nova situação, contanto que ‘fielmente’ os recompensem, em proporção direta à sua abnegada boa ação.

1 comentário

Arquivado em PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

CAMPINAS TERÁ PRAIA ANTES DO PRÓXIMO VERÃO

Claro que eu tô brincando. Mas não fui eu que comecei. Os caras tão de brincadeira com a minha cidade. E elegeram D. Pedro pro mandato tampão ou mandato tapão, como estão chamando. Campinas teve Toninho prefeito com 290.132 votos em 2000; Dr. Hélio conseguiu 258.456 votos para primeiro mandato em 2004 e 371.083 para o segundo, em 2008. E D. Pedro Serafim? Esse teve 22. Dois patos na lagoa? Não! Mais de um milhão de patos na praça. E ele esteve no Derbi, só agora deu pra entender: conseguiu o apoio de 2 times! Nem é novidade que os 22 que votaram no D. Pedro Serafim são de dois times, todo mundo sabia! Um é o time dos que adoram cargos e o outro é dos que amam muito tudo isso. E eu gostei mesmo foi da postura do vereador Zé do Gelo (PV): quando a coisa esquentou, ele derreteu. Ai, que piadinha infame! Campinas vai ter praia, porque isso aqui tá o verdadeiro mar de lama. E a coisa tá salgada. E toca a gente começar de novo. Ou como se diz aqui na roça: COMÊ SAR de novo.

Momento terno:  D. Pedro empossado, recebe “cumprimento” do Vereador Sérgio Benassi (PCdoB)

2 Comentários

Arquivado em PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

CAMPINAS NO BICO DOS TUCANOS & DOS CORVOS

Se havia suspeita de que a muié do prefeito é chefe de quadrilha, é óbvio que o próprio seria, no mínimo, dançarina de can-can, no cabaré desse faroeste. Mas ainda não tava provado. A Câmara, ao precipitar-se, afastando o doutor, com a corajosa exceção do vereador do PCdoB, antecipa o festival de bizarrices que se espalhará pelo país, no ano das eleições para prefeitos. Estou torcendo pro mundo acabar em 2012. Contudo, pelo que dizem, acabaria em 21 de dezembro, o que significa que não nos livraremos das eleições. Na cidade que amo, ficou clara a falta de identidade das siglas partidárias, a fragilidade ideológica, a ausência de consistência de programas político partidários, o que sinaliza: falta de princípios. Nos poucos partidos dos quais esse conteúdo obrigatório poderia ser esperado, nota-se que ele é suplantado velozmente, seja diante de uma mala preta, por medo do que sairá no jornaleco da cidade, por rabicó preso com interesses inconfessáveis ou por simples personalismo. Vejamos o PT: a companheirada se precipitou (literalmente: lançou-se ao precipício) e pode ter se metido numa lamentável cilada. Se o doutô ainda não tava incriminado pela Comissão Processante, seria o partido mais interessado em ganhar tempo, afinal, afastado Hélio, voltam-se as atenções para o vice-prefeito, que é do PT. Replay: é do PT. O Vilagra (não vai ter o que o erga) já assume a vaga condenado. A população campineira já teve prefeitos petistas: Jacó, Toninho, Izalene e agora tinha o vice. Jacó saiu do partido, Toninho foi assassinado e a sucessora não foi capaz sequer de liderar um efetivo processo de apuração desse crime político. Já Vilagra, na condição de vice-prefeito, deixou-se flagrar, logo de cara, no esquema de corrupção que fisgou o, agora traído aliado, Dr. Hélio. Com que cara o partido – que agora trai o governante que apoiara, e está envolvido até o pescoço no mesmo processo que gerou escândalos de desvio de dinheiro da Sanasa -, vai pedir voto a esse surpreso, desconfiado ou atordoado eleitor?

 

É DE REVIRAR LEONEL: PDT DAQUI É LEGENDA DE ALUGUEL

O PDT, por incrível que pareça, não terá maiores problemas, em que pese ser o partido do marido que não sabia onde estava a muié, nem no dia dos namorados. Hélio não poderia se candidatar a um terceiro mandato e há tempos preparava sua aterrissagem em alguma sigla nova ou naquela morta-viva, recém abastecida de cargos no governo federal. Essa é de fazer revirar Leonel, mas PDT em Campinas sempre foi legenda de aluguel. Grande parte dos políticos pulou ali, vindo dos piores pardieiros partidários, pouco antes ou imediatamente depois do prefeito ser eleito para seu primeiro mandato. Dito diretamente, o PFL foi a origem de muitos deles. E pensar que o pê-fê-lê foi um dos nichos direitosos mais combatidos pelo inconfundível Brizola! Ao menos em Campinas, quem votou nessa gente, que simplesmente abandona um herói ferido na estrada – talvez para o bem do prefeito companheiro de sigla, abreviando-lhe o vexame do previsível desfecho – vai continuar votando nela. Para quem não escolhe candidato baseado em conteúdo programático da sigla, por ideologia, tanto faz, fica do mesmo tamanho. A quem, afinal, a antecipação do fuzuê fez bem? Pro tucanato, certamente, que mira Hélio, atinge o PT de Dilma e fará de tudo pra mandar na cidade das Andorinhas. Pro PMDB, então, não poderia estar melhor. “Genro não é defeito” (relembrando Brizola, que teria dito “cunhado não é parente”) e o moçoilo da filha de Hélio, vereador do PMDB que o diga! Votou sem pestanejar pela cassação do sogrão! Para o partido de Sarney (já tô quase chamando de presidente, botando o retrato do bigode outra vez, na parede, no mesmo lugar) ficou mamão com mel. Tem verba, influência e cargos pra funcionar como gigantesco caça-prefeitos, “mérito” que tem feito muito mais magia do que Herculano Quintanilha, aqui pela região. Num só dia, dois prefeitos peemedebezaram por estas bandas. Relembremos: o PMDB paulista apoiou Serra. Replay: apoiou Serra.

Ainda não sei o que é pior para a cidade, estar no bico dos tucanos ou no bico do corvo, que dá rasantes quando sente o cheiro da carniça (e partido de massa, quando perde a massa, vira o quê, PT?). Por fim, sobra a sabedoria dos mais experientes. A cassação antecipada teve placar 32 a 1. O PCdoB, embora integrando a coligação eleita sucessivamente para governar Campinas, colaborou para que houvesse investigações, quando suspeitas surgiram e, principalmente, não foi alvo delas, em momento algum. Assim, não decepcionou os que louvam a ética: não se envolveu em desmandos ou corrupção. Tampouco acompanhou partidos da base do ora esfacelado governo municipal quando se tratou de participar de pré-condenações ou linchamentos políticos. Assim, nas eleições municipais, espera-se que, na falta de sigla a sua altura, ao comemorar seus 90 anos, com inegável histórico de coragem no enfrentamento de práticas políticas anti-populares, lance candidatura própria, apostando na força dos movimentos sociais, na luta da militância. E que vença a dignidade.

Deixe um comentário

Arquivado em CONTO E MOSTRO, JORNALISMO BOZO, PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

SE INSENSATO CORAÇÃO FOSSE MUSICAL DA BROADWAY

Já que a encenação do Raul assistindo sua muié e seu irmão nos ‘aconchego’ ia ser ruim assim, porque não fizeram a sequência do flagra ao pós forfé em ritmo de musical da Broadway? Eu teria muita canção pra sugerir! Nem vou falar em dupla sertaneja, que é chover no molhado indicar que é produto direto e genuíno da dor de corno. Pincei trechos dos boleros, do samba, MPB e até bossa nova. Mas pra começar, imaginei algo assim, com o pega-que-pega ‘em família’ rolando, e o fundo musical crescente, mas só na base de um tango instrumental. Não quero associar os nossos queridos hermanos a chifre. Calma. Tem pra todos! Depois posto a tradução da romântica “Champagne” em homenagem a tutti i cornutti. Bom, sobe som, desce som (vamos chamar de som), até que… dono da casa chegou pra acabar com a festa na metade. Corta fundo musical por 3 segundos; cada ator toma seu canto e vai, a partir daí, só na musiquinha:

TRAIDOR (Zé Wilker): “Se acaso você chegasse no [seu] platô e encontrasse aquela mulher, que você gostou… Será que tinha coragem de trocar nossa amizade por ela, que já te abandonou?”

TRAÍDO (Antonio Fagundes): “A santa [A Vanda] às vezes troca meu nome, e some nas altas da madrugada (…) Coitada, trabalha de plantonista!”

TRAIDOR: “Será que essa gente percebeu, que essa morena desse amigo meu, tá me dando bola tão descontraída? Só que eu não quero é que essa gente diga: ‘esse camarada se androgenou, a moça deu bola a ele e ele nem ligou’.”

TRAÍDO: “A Santa [a Vanda] às vezes me chama Alberto [Humberto], decerto sonhou com alguma novela…”

TRAIDOR: “Não é por estar na sua presença meu prezado rapaz, mas você vai mal! Mas vai mal de mais! (…) Ou tira ela da cabeça ou mereça a moça que você tem!”

ELA (Natália do Vale): “Errei, sim! Manchei o teu nome! Mas foste tu mesmo o culpado! Deixavas-me em casa me trocando pela orgia, me faltando sempre com a tua companhia!”

TRAÍDO: “Na hora do bom, me deixa, se queixa, a gueixa, que coisa mais amorosa!”

ELA: “Lembro-te agora que não é só casa e comida, que prende, por toda vida, o coração de uma mulher…”

CANTANDO EM DUETO, TRAIDOR E TRAÍDO: “Ela é a Teresa da praia (…). O verão passou todo comigo. O inverno, pergunta: ‘com quem?’”

ELA: “Quero ver como suporta me ver tão feliz! E quantas águas rolaram, quantos homens me amaram, bem mais e melhor, que você!”

FINALIZAM, CANTANDO ORA EM DUETO, DEPOIS JUNTOS, TRAIDOR E TRAÍDO:

“Então vamos, a Teresa na praia deixar, aos beijos do sol e abraços do mar! Teresa é da praia, não é de ninguém, não pode ser minha, nem tua também!”

2 Comentários

Arquivado em CONTO E MOSTRO, PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

ARIADNA E O BBB: PORQUE SAIU? SAIU PORQUE?

No meio do BBBzinho tinha um(a) Ariadna… Tinha um(a) Ariadna no meio do BBBzinho. Pois num foi? Num apagado e quase sem audiência paredão, tiraram do BBB 11 a grande “aposta” de seus idealizadores: a primeira transsexual a participar do reality, no Brasil. Ninguém me tira a ideia que foi coisa da Groba e não da audiência. Dou bafão, juro, confesso! A Groba não daria conta de administrar as canastrices preconceituosas, se os machões da casa desconhecessem a real sobre a moça. E… não tendo possibilidade de expor aquela participante e a audiência a bizarrices, quem teve a “brilhante” ideia de botar a trans no BBB deve ter achado que tudo perdeu a graça. Não foi a galera que assiste e que vota que tirou Ariadna. Tá na cara que foi o povo “de cima” (e não me refiro ao céu).

Deixe um comentário

Arquivado em PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

GILBERTO BRAGA, MEU PREFERIDO

Essa que começou eu não perco por nada. Gilberto Braga é meu preferido, disparado! Podem apostar! A galera que ele escala num tem outra função que não seja a de detonar a aristocracia. Ele não curte vagabundo. Sempre põe um ou mais alpinistas sociais. E também tem sempre um empresário inescrupuloso. Gente esnobe, que se acha e vive de pequenos golpes e vive endividada, ele detona mesmo! E quem nunca viajou além de seu quintal e opina como se o Brasil não prestasse? Ele não suporta e bota quem não tem amor à patria na linha. Ele só curte a classe média boazinha. Gilberto Braga adora colocar irmãos ou irmãs que barraqueiam, não combinam, são opostos. Um é mocinho, outro bandidão. Basta lembrar Sônia Braga e Joana Fomm , em Dancin´days. Agora são irmãos o Fagundes e o Zé Wilker. Como o primeiro tem em casa dois filhos tipo Abel e Caim, é de se imaginar que um num seja fio dele, seja do outro… Confundi? Mas cêis me entenderam, né? Adoooro Gilberto-manda-brasa-Braga, e assisti até a sua novela que perdeu audiência pro SBT com “Carrossel”! Tadim… No que depender de mim, isso não acontece mais!

Deixe um comentário

Arquivado em PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA

O SUICÍDIO DE SAULO

Aff!!! Então, concluo que ninguém matô o Saulo! Nenhum sem-saulo-nem-açucar dessa novela sacimulenta, sem pé nem cabeça feito nós! Foi ele que se matô, pulando com sua pança sobre a faca. O malaco se auto esfaqueou e morreu instantaneamente. Sorte do ator, porque qualquer frase ou expressão, ali, ressuscitava o canastreta e perneta na Groba, por falta de humor pior… Mas Passione não foi de todo uma porcaria. O texto era horripilante, os personagens mal e caoticamente construídos. O Fred era suburbano, mas bastava vestir uma beca que falava com desenvltura e vocabulário de mega empresário; a Estela começa como dadeira incorrigível e termina como mãe abnegada; o Gerson é playboy a ponto de roubar, na primeira semana da trama, a mina do amigo de infância, depois é insinuado que era pedófilo, mudam pra menino abusado na infância e, por fim, casa com a branquela fia da Candê (nem preciso explicar que isso não aconteceria nem aqui, nem no Ceasa, né?). Bom, não foi de todo uma perda de tempo. Como disse um amigo no meu feice, o grande mistério desvendado foi que Tony Ramos é um cachorro. Nome dele era Totó, é peludo e sabe fingir de morto! Gol!

Deixe um comentário

Arquivado em PERERÊ CONTOU PRA SEM CABEÇA